Carregando... Aguarde...

: . Newsletter


Corisco o Diabo Loiro 1969 Carlos Coimbra

  • Imagem 1
  • Imagem 2
  • Imagem 3
Preço:
R$ 25.00
Entrega:
Entrega grátis
Quantidade:
Bookmark and Share


Descrição do produto

Titulo: Corisco o Diabo Loiro
Gênero: Aventura/ Cangaço
Lançamento: 1969
Pais: Brasil
Duração: 100 min
Direção: Carlos Coimbra
Elenco: Maurício do Valle, Leila Diniz, Milton Ribeiro, John Herbert, Geórgia Gomide, Dionísio Azevedo, Antonio Pitanga, Turíbio Ruiz, Maracy Mello, Tony Vieira, Joffre Soares, Roberto Ferreira, Laura Cardoso, Eduardo Abbas

Adaptação da Obra de
Antônio Amaury de Oliveira


01 DVD - GRAVADO DA TV


Corisco era o apelido do cangaceiro Cristino Gomes da Silva Cleto, foi casado com Sérgia Ribeiro da Silva, alcunha de "Dadá". Corisco era também conhecido como Diabo Louro.Em 1924, Corisco foi convocado pelo Exército Brasileiro para cumprir o serviço militar. Desertou em seguida, no ano de 1926, e tomou a decisão de aliar-se ao bando do cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva, apelidado Lampião. Corisco era conhecido por sua beleza, seu porte físico atlético e cabelos longos deixavam-o com uma aparência agradável, além da força física muito grande, por estes motivos foi apelidado de Diabo Louro quando entrou no bando de Lampião.
Corisco sequestrou Sérgia Ribeiro da Silva, a Dadá, quando ela tinha apenas treze anos. Usou da força bruta para que com ele a moça permanecesse, e mais tarde o ódio passou a ser um grande afeto. Corisco ensinou Dadá a ler, escrever e usar armas. Corisco permaneceu com ela até no dia de sua morte. Os dois tiveram sete filhos, mas apenas três deles sobreviveram.
Desentendimentos com o chefe Lampião levaram Corisco a separar-se do bando e a formar seu próprio grupo de cangaceiros, mas isso não afetou muito o relacionamento amigável entre ambos.
Em meados do ano de 1938 a polícia alagoana matou e degolou onze cangaceiros que se encontravam acampados na fazenda Angico, no estado de Sergipe; entre eles encontravam-se Lampião e Maria Bonita. Corisco, ao receber essa notícia, vingou-se furiosamente.
Em 1940 o governo Vargas promulgou uma lei concedendo anistia aos cangaceiros que se rendessem. Corisco e sua mulher Dadá decidiram se entregar mas, antes que isso acontecesse, foram baleados. Dadá precisou amputar a perna direita e Corisco veio a falecer naquele mesmo ano.Com as mortes de Lampião e Corisco, o cangaço nordestino enfraqueceu-se e acabou se extinguindo.
Corisco foi enterrado em Jeremoabo, na Bahia. Depois de alguns dias sua sepultura foi violada, e seu corpo exumado. Seus restos mortais ficaram expostos durante 30 anos no Museu Nina Rodrigues ao lado das cabeças de Lampião e Maria Bonita.

Antônio Amaury de Oliveira - Gente de lampião


Procurar produtos similares por categoria


Escreva seu próprio comentário para o produto

Comentários

Este produto não recebeu nenhum comentário até agora. Seja o primeiro e enviar um comentário para este produto!

Adicionar na lista de favoritos

Clique no botão abaixo para adicioná-lo Corisco o Diabo Loiro 1969 Carlos Coimbra para sua lista de favoritos.

Você visualizou recentemente...